Miga, sua loca- Antônia no Divã

Miga, sua loca, me disseram que hoje é nosso dia, mas convenhamos que dia do amigo, para gente assim, como você e eu, é todo dia. Miga, obrigada fazer parte dos melhores capítulos da minha história, que datam mais tempo do que consigo lembrar. Por dividir planos de morar na praia, e me emprestar aquela(e) saia/polaina/brinco que eu adoro. Miga, não tenho palavras para te agradecer por você sair comigo, mesmo quando eu encarno uma gótica suave, querendo causar no look. Obrigada por aturar a minha estranheza desde o tempo que eu usava mexas nas franjas. Desculpa ter te convencido a fazê-las também, juro não divulgar nossas fotos da época de moda questionável. Obrigada por me deixar ser a minha Spice Girl preferida, ainda que ela fosse a mesma que a sua. E por dividir igualmente as partes na música Sonho de Verão das Paquitas (até hoje).

Miga sua loca, me disseram que hoje é dia do amigo, mas para nós, é principalmente aos sábados. É sabadera na pixxxta, quando você coloca aquela bota que insistes em usar, mesmo que deixe os teus pés doloridos meia hora depois. E eu, como sou sua amiga, fico dando tempo no banheiro enquanto descansas as pernocas sentada no vaso – “mas a bota tava em promoção, amiga”. Miga, sua loca, eu te adoro até quando tu és teimosa. Obrigada por ficar na festa comigo “só até as 7h”, mesmo quando já são 8h da manhã, e entender que as vezes me sobra energia, e me faltam limites.

Dia do amigo é aquela domingueira em que tu seguras a minha mão depois de uma ressaca (física e moral). Aliás, miga, obrigada por segurar o meu cabelo quando eu confundo tequila com água benta, e me benzo inteira com José Cuervo. Por alegar que ninguém viu o tombo que eu levei na saída da balada (ainda que seja mentira), e por nunca me deixar dirigir bêbada quando lhe digo que “eu tooo otchiiima”. Obrigada, miga, você é loca, mas não é maluca.

Miga, obrigada por revisar minhas mensagens antes de mandar para o boy que eu gosto, e confiscar o telefone sempre que tenho uma recaída pelo ex. Miga, você não merece um dia só, já que me aguenta na montanha russa que eu vivo semanalmente entre o “quero casar e ter filhos” e o “vou viajar o mundo sozinha e beijar na boca”. Miga, sério, não é fácil ser você. Miga, você que me lembra que eu tenho planos infundados de investir na bolsa de valores já que não resisto a uma bolsa nova. Miga, você é quase uma consultora financeira, e não tem preço que pague os teus serviços.

Miga, sua loca, obrigada por precisar de mim – assim eu não sinto que eu sou maluca sozinha nessa nossa dupla. Obrigada por você ter absoluta certeza do que EU tenho que fazer da minha vida, mas pedir a minha opinião até para mudar a cor do teu cabelo. Miga, obrigada por me ligar quando você está com medo, eu fico mais forte perto de você, sabia? Aliás, ambas ficamos. Nós somos tipo Batman e Robin, mas ao invés de combater o crime, a gente luta contra nossas paranoias e as dores do mundo. Ah, e por falar em dores do mundo, obrigada por me fazer acreditar que eu posso vencer todas elas, e por ser fã numero 1 da minha força de vontade e do meu altruísmo. Sem você me apoiando, talvez eu seria apenas uma idiota idealista, ao invés da guerreira corajosa que você me faz acreditar que sou.

Miga, obrigada por fazer de qualquer programa de terça-feira, um festival de risadas. Você é como férias no meio da semana. Miga, gratidão por você ser minha razão quando estou louca, e por me pedir emprestado a minha sensatez quando você está fora da casa. Por segurar as minhas pontas quando a vida me decepciona. Recalcular a rota junto comigo, quando estou perdida. Dar-me dura, colocar-me no meu lugar quando fico infantil, irresponsável ou inconsequente. Ouvir a verdade de você é tão suave quando um soco na cara, e não desconfortável quando um colo de mãe. Obrigada por calibrar a minha expectativa quando você diz “você está preparada para a resposta que procuras?” ou por me escutar quando te aviso que você está mentindo para você mesma. Obrigada por comprar as minhas brigas, mesmo quando você não tem certeza da minha razão.

Miga, sua loca, obrigada por celebrar nossas piadas internas como se elas fossem sempre novas. Por me entender com um olhar, e decifrar meus sorrisos amarelos. Por apostar no meu futuro, a ponto de construí-lo junto comigo. Por apoias meus sonhos, e dividir o peso das minhas frustrações. Por entender que eu sou loca, mas que sou a sua loca preferida. Miga, sua loca, obrigada por ser a minha. Eu te gosto louquinha assim, sem tirar, nem pôr.

Feliz dia da miga, sua loca.

antonianodiva.com.br

COMPARTILHAR
Antônia no Divã
Uma questionadora fervorosa das regras da vida. Viajante viciada em processo de recuperação. Entusiasta da escrita. Uma garota no divã figurado e literal. Autora do blog antonianodiva.com.br.



DEIXE UMA RESPOSTA