Larga mão de quem não te agarra forte pela cintura.

Não mantenha um relacionamento ruim, por medo da solidão.

Todo relacionamento é uma via com duas pontas. Quando um lado está frouxo, certamente, o risco será perceptível aos olhos e sentido pelo coração. Sempre sabemos, mesmo desacreditando da verdade esfregada em nossa cara, quando o fim está próximo. Principalmente, quando os sonhos não caminham em sintonia com os nossos passos. Temos a consciência que, sem aquele famoso frio na barriga, não existe paixão. E, se não houver uma chama acesa, teimoso você ou não, já não existem mais motivos para seguir em frente.

Cair em si é uma tarefa difícil e dolorosa. Depositamos expectativas em alguém que, por inúmeras vezes, não conhecemos direito. Não sabemos o que estamos procurando, mas queremos encontrar. Os valores se perdem, não estabelecemos um equilíbrio entre a razão e emoção. Pelo contrário, seguimos com uma busca insaciável pela perfeição e acabamos ficando cegos diante de tamanho desprezo ou indiferença.

Larga mão de quem não te agarra forte pela cintura. Estremecer a espinha com um beijo na nuca nos faz sentir vivos. Não podemos dispersar dos problemas o tempo inteiro, mas nessas oportunidades, devemos nos entregar por completo. Um abraço caloroso, daqueles que parecem tocar o corpo da cabeça aos pés. Uma vontade quase que incontrolável de ficar junto, fazer carinho e dormir grudado. Um desejo enlouquecedor de fazer morada, tomar posse e nunca mais soltar. A intensidade move montanhas e a reciprocidade, simplesmente, deixa qualquer caso leve e faz acontecer. De maneira natural e saudável.

Se a pegada é sutil, quase imperceptível, reveja os seus objetivos. Um ser em ebulição, não merece um ser morno. A sintonia e a química são fatores essências para a durabilidade do termômetro amoroso. Não aceite nada menos do que você merece. Estipule metas, seja seguro e convicto do que realmente quer para si. Não releve todos os erros, mas aprenda o que vale a pena perdoar e dar uma segunda chance. Errar é humano, lidar com as diferenças é um desafio. Se você mais chora do que sorri, há algo de errado que precisa ser consertado com urgência. Empurrar com a barriga não vai adiantar nada, você está apenas perdendo o seu precioso tempo, investindo em quem não se importa com você. Chega, é hora de parar por aqui.

Prioridades são métricas certeiras do relacionamento. Quando souber as suas, certamente, conseguirá analisar o outro. Se colocar no lugar do outro, por meio de atitudes e gestos. Palavras o tempo leva, a borracha apaga, o papel torna-se descartável. Seja sincero com você mesmo, antes de cobrar do outro. Não machuque as pessoas, não se torne alguém que você não admira, alguém no perfil de quem já te fez mal e não soube valorizar as suas qualidades e tudo o que ofereceu. Permaneça firme, forte e persistente. Saiba o momento certo de colocar um ponto final, não se torture por pouco. Você merece muito mais. Continue com os seus ideais, porque, no momento certo, todas as suas respostas virão à tona. É normal surgirem, diariamente, novas perguntas.

A vida não é um jogo. O coração não pode ser fechado para balanço, também não pode ser leiloado. O dinheiro não compra o amor, o interesse não te torna alguém melhor. O comodismo não vai aumentar a durabilidade. O desgaste é algo que precisa ser evitado, sempre que possível. Seja compreensível o máximo que conseguir. Reconheça os seus deslizes, corra atrás dos prejuízos, saiba reconhecer e aprender quem sim, quem não e quem nunca.

Ficar sozinho é necessário para a evolução da espécie. Descobrir-se em si é encontrar-se no outro. Ser feliz sozinho é desmembrar os limites do próprio ego. É lidar com todos os fantasmas, monstros e bruxas. Ser sozinho, não necessariamente, quer dizer que você está solteiro. Você pode conhecer novos casos, o mundo gira rápido demais, não fique parado no mesmo canto que não tem nenhuma saída. Você tem o aval de sair pela mesma porta que entrou, e isso não é vergonhoso. É sinônimo de coragem, liberdade e felicidade.

A paixão não sustenta as borboletas no estômago, mas ela é o ingrediente principal da receita de sucesso. Sem ela, o amor fica meio sem gosto.

Na dúvida, me pega para você e não me deixe escapar.

Eu posso nunca mais voltar…

COMPARTILHAR
Jéssica Pellegrini
Nunca confie em uma escritora confusa e romântica. As controversas entre um texto de amor e outro de desilusão, podem causar questionamentos pessoais. Consequentemente, sequelas mais graves.



DEIXE UMA RESPOSTA