É que Narciso acha feio o que não é espelho

Por Natany Pinheiro – Eu Gosto é do Estrago / Obvious

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto, não vi os meus gostos, não vi a minha história…nada. Bem pudera, somos pessoas diferentes que apenas se esbarraram em uma parte do caminho. E mesmo assim eu balancei na ideia de comparar a sua felicidade com a minha. Errei. Não há um modelo ideal para a felicidade – o que me satisfaz não precisa agradar o outro – e regras para isso deveriam ser banidas da sociedade.

Suas escolhas podem ser generalizadas e tidas como banais, ou podem ser muito bem pensadas e aí tachadas de malucas. Não importa se no campo do amor ou no profissional; a questão é que a escolha é sua e ninguém tem nada a ver com isso.

Regras são para um conjunto e não para um indivíduo. Se você não estiver prejudicando o social, faça o que bem entender.

Reza a lenda que meninas devem ser delicadas e brincar de bonecas. Mas, se te faz bem, saia da curva, fale palavrões e goste de futebol, só esteja preparada para falar bem alto, por que vai receber muitas críticas. Se você não se iguala, precisa ganhar espaço no grito.

Fazendo alusão à música de Caetano Veloso – Narciso é a maioria da sociedade que não aceita as diferenças e se recusa a acreditar na beleza e na felicidade fora dos padrões. Pois o ideal para cada um é aquilo que se iguala à sua própria imagem. Talvez seja por isso que eu veja um mundo tão feio.

Já que Narciso acha feio o que não é espelho, se você não seguir os padrões de beleza, esteja preparada também para ser o patinho feio da escola/faculdade. Pois é, se a adolescência já é difícil para aquelas de cabelos compridos, alisados, rosto cheio de maquiagem e um super decote, imagina para quem opta por um cabelo curto e tênis surrado.

E se você, mulher, escolher uma profissão alternativa, que não exija terninhos e pastas executivas, e para piorar, também decidir que não vai esperar o príncipe no cavalo branco, não sonhar com um casamento e muito menos em ter filhos, segure o rojão. Seu nome vai ser tema das principais reuniões de família e amigos. E pode apostar, ninguém vai acreditar que você é feliz remando contra a maré.

Ainda assim, você não precisa se igualar. E acredite, você pode ser feliz sendo diferente. Eu tento acreditar nisso todos os dias. Pois os padrões existem para quem tem medo de arriscar, e isso envolve a maior parte da sociedade. E como todos nós sabemos, a maioria vence e dita às regras. Mas os espertos não precisam segui-las.

Seja feliz sendo diferente.

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA