Eu gosto do meu modo de ser: não preciso que todos gostem de mim

Meu modo de ser é autêntico e não preciso fingir ser o que não sou para que os outros gostem de mim. Há um tempo eu pratico o valor da dignidade pessoal, não sou escravo de ninguém, e não preciso agradar a todos para ser feliz.

É fundamental chegar a essa conclusão o mais rápido possível no nosso ciclo da vida. É um aspecto que todo adolescente deveria assumir, e que toda pessoa deveria praticar para alcançar um equilíbrio interior adequado e o bem-estar emocional.

Eu não sou como você espera que eu seja, eu sou feito pelo que me define, pela minha forma de ser, pela minha forma de fazer você feliz. Vamos construir um mundo em que nem você nem eu nos obriguemos a deixar de ser eu ou você.
 

Sabemos que nem sempre é fácil agir desse modo. Dentro de nós, temos a sensação de que se alguém não gosta de nós seremos rejeitados pelo mundo. A vida, no entanto, não se constrói a partir da necessidade de todos gostarem de todos: basta que saibamos respeitar.

As pessoas sentem a necessidade de gostar da família do seu cônjuge, de se dar bem com os seus amigos, de ter afinidade com todos os companheiros de trabalho e as pessoas que fazem parte dos nossos círculos sociais. Mas o principal fato que toda pessoa deveria saber é que é impossível agradar a todos. Cada pessoa é única, todos têm sua própria forma de ser, de ver o mundo e de viver a vida.

Se você não gosta de mim, tudo bem, mas aceite-me e respeite-me. O mais provável é que exista algum aspecto de mim que possa nos unir, o mais provável é que, apesar das nossas diferenças, possamos trazer algo um para o outro. E se isso não ocorrer, também não há nenhum problema. O essencial é só que nos aceitemos como somos: o amor próprio é uma relação que deve durar a vida inteira.

Eu sou eu mesmo, e me aceito na minha forma de ser como um presente pra mim

Você é um presente para você mesmo, e ninguém pode dizer o contrário. Só você sabe tudo pelo o que já passou, o que já superou, sua forma de ser é a janela que permite ver o mundo com toda uma intensidade pessoal, em liberdade e de forma íntegra.

Sou como sou, não pretendo ser uma versão de ninguém e nem uma marionete guiada por desejos dos outros: tenho voz, coração e sei tudo que mereço nessa vida para ser feliz.

Nossa forma de ser não se define só com as características de que somos extrovertidos, tímidos ou introvertidos. Há toda uma palheta de cores, cheia de nuances, em que estão marcadas experiências, pensamentos e aprendizados vitais. Há fracassos e feridas, mas também há triunfos e caminhos percorridos com felicidade.

O mal ensina e o bem orienta.  Toda vivência faz parte da nossa forma de ser, e aí falamos também de formas de educação recebidas, valores que assumimos ou renunciamos e a essência das pessoas que passam por nossa vida.

  • Nossa forma de ser é a energia que nos empurra e que faz uma moldura ao redor do que queremos e do que não queremos na vida, do que nos define.
  • As pessoas que tentam agradar a todos precisam, antes de tudo, de aprovação. Buscam se sentir integrados, mas se nos limitarmos a buscar aprovação no dia a dia, deixaremos de ser nós mesmos.
  • O psicólogo e escritor Wayne Dyer costumava dizer que 50% das pessoas que encontramos durante o dia são, provavelmente, contrários a nossas opiniões. Se em alguma ocasião você se encontrar com alguém que não gosta do que você diz ou faz, não se preocupe: há outros 50% que irão apoiá-lo.
  • Quando somos pequenos somos educados de modo que acreditamos que todos devem gostar de nós: sorria, dê a mão, comporte-se, não faça isso, não faça aquilo… Passamos uma boa parte de nossa vida buscando aprovação até que um dia, repentinamente, nos damos conta de que agradar a todos é impossível.

Tentar agradar a todos nos fará infelizes

O budismo já dizia desde a antiguidade: se você se empenha a agradar a todos, só encontrará sofrimento e infelicidade. Não vale a pena, não é necessário agradar quem tem o coração egoísta, quem não o reconhece, quem carece de nobreza e quem simplesmente não se encaixa na sua forma de entender o mundo.

Sou uma parte de tudo que encontrei em meu caminho até então, minha forma de ser é minha essência e minha identidade. Muito me custou chegar no lugar em que estou hoje e não posso me permitir aparentar algo que não sou só para fazê-lo feliz.
Se pensarmos bem, nada poderia trazer mais estresse e sofrimento emocional do que tentar agradar a todos. Por outro lado, também sabemos que desagradar pode gerar mais do que críticas e reprovações.
  • Entenda que as críticas que nada acrescentam estão mais relacionadas a quem as faz do que a quem as recebe. Elas não nos definem, e são em alguns casos nada mais que reflexos das frustrações de quem critica.
  • Não é muito saudável viver a vida à mercê das opiniões alheias, nem sob a urgência de encontrar aprovação dos outros: assim você só se tornará um escravo do mundo no lugar de ser dono do seu coração.

A vida é diversidade, e o mundo tem tantas nuances que vale a pena adotar uma só sua, ser autêntico e manter sempre uma dignidade própria. Ame a si mesmo pelo que você é, goste de si mesmo pelo que você é.

*Fonte: Site A mente é maravilhosa

 

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA