A geração de pessoas que se sabotam emocionalmente

Aí você conhece uma pessoa que parece incrível. Vocês conversam sobre tudo, fazem todos os passeios imagináveis, viram madrugadas em confissões e gargalhadas e têm uma química nunca antes vista na história da humanidade. Tudo parece perfeito, até que aquela pessoa começa a sumir, deixando você sem entender o que aconteceu. Você tenta respeitar o espaço, deixa a pessoa respirar, até que um dia, por não entender o que teria acontecido de errado, você chega com a pessoa e pergunta o que houve. E aí ela diz que não tem como continuar porque não quer se envolver.

Você acha aquilo estranho: afinal, se não queria se envolver, então por que dizia que era uma sorte grande ter te encontrado? Se não queria se apegar, então por que dava bom dia todo santo dia? E por que se preocupava em ser uma pessoa tão carinhosa mesmo tanto tempo depois de as primeiras transas terem acontecido? Nada disso faz sentido, não é mesmo?

Você fica sem entender o que aconteceu, vai investigando, até que a pessoa diz ou que teve um/uma ex que deixou traumas ou que gosta muito de um outro alguém, mas esse alguém não sente o mesmo por ela.

Nessa hora, você pode se sentir como se não fosse uma pessoa boa o suficiente para fazer com que esse alguém que você gosta deixe para trás os traumas e o passado. Você pode sentir um forte sentimento de rejeição, capaz de abalar até a mais inabalável das seguranças. Mas de uma coisa você precisa ter a mais absoluta certeza: tudo isso não é problema seu. Você não tem culpa se a pessoa que você gosta é uma das milhares de pessoas que se sabotam.

Se o outro prefere ficar se sabotando, é problema dele. Se ele não quer se permitir viver uma experiência que seria completamente diferente de tudo o que ele já viveu antes, é problema dele. Você não tem nenhuma culpa ou responsabilidade pelas escolhas das outras pessoas, independentemente de quais sejam elas.

Infelizmente, vivemos em uma geração de pessoas covardes, que se envolvem, mas depois ficam afastando os envolvimentos porque preferem ficar se escondendo atrás dos seus traumas. Eu já fiz isso, você também já deve ter feito. E sabe por que tanta gente faz isso? Porque é mais fácil ficar em uma zona de conforto de auto-piedade, reclamando que os traumas deixaram marcas ou dizendo “Ninguém me ama, ninguém me quer”. Mas tudo isso não é problema seu, amig@: é problema da pessoa. É problema dela se ela só se permite se apegar a sentimentos tão pequenos de mágoa, rancor, egoísmo e pena de si mesma.

Todos nós somos imperfeitos, mas nem as suas piores imperfeições justificam que alguém faça isso com você: se envolva, te trate como se fosse ser algo para valer e depois decida ir embora sem dar explicações. Mas, se essa pessoa quer sair da sua vida, deixe que ela vá embora. Você não merece alguém tão covarde.

Do outro lado da mesa

Agora, se você que está aí do outro lado se identifica com o perfil do covarde, pense no que você está fazendo com a sua própria vida. As pessoas são diferentes. O trauma que você teve com uma não necessariamente vai se repetir com outra. Cada um é de um jeito, e, consequentemente, as experiências que você terá com cada pessoa serão diferentes. Pense em todas as pessoas legais que você deixou passar pela sua vida por esse medo de se envolver. Até quando você vai ficar se sabotando por puro medo?

Eu sei que ninguém está dentro de você para saber o que você está sentindo. Ninguém está aí dentro para saber o quanto aquela rejeição te doeu e você tem todo o direito de sofrer o quanto achar que tem que sofrer. Mas pense comigo: se você não está preparado para se envolver, então não prolongue as coisas. Não tenha atitudes que deem brechas para que o outro crie expectativas. Quer beijar? Beije, mas deixe claro que você só quer o beijo. Quer transar? Transe, mas seja sincer@ e diga que você só quer isso. Quer só uma companhia para não se sentir sozinh@? Ok, todo mundo tem suas carências, mas deixe tudo bem claro para a outra pessoa. Será uma escolha dela se ela decidir ficar com você mesmo nessas condições. Mas ela precisa saber o que, de fato, está acontecendo.

O problema não é você viver o seu luto, mas sim iludir a pessoa e sumir do nada, sem dar nenhuma explicação, fazendo com que ela pense que o problema é com ela, que ela fez algo de errado. Seja uma pessoa adulta o suficiente para assumir as consequências dos seus atos.

Inclusive a de talvez, daqui a algum tempo, estar aí se remoendo porque não deixou que a Júlia ou o João entrassem para valer na sua vida e te mostrassem que o presente e o futuro podem ser completamente diferentes do passado.

Texto de Ana Paula Souza
Fonte indicada: Lado M

 ]

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



13 COMENTÁRIOS

  1. Uaw! Que texto incrível… me lembra uma das várias vezes que eu me sabotei por ser covarde, uma história que machuca até hoje, que aconteceu com uma garota que eu gostava, ela era sempre muito interessada no pouco que eu tinha para dizer, eu a chamava de lua (por um motivo que não cabe aqui explicar), e veio de outra cidade estudar, e um dia ela me chamou pra sair, nunca aconteceu nada de fato, mas eu não podia ir porque eu não queria que acontecesse, foi então que eu tive a ‘genial’ ideia de abrir o jogo e dizer que eu tinha namorada (o que era mentira)

  2. Humm.. Fui por muito tempo o perfil do “covarde”. Penso que o tema foi abordado de uma maneira muito tendenciosa para a pessoa que seria “emocionalmente sadia”. Nao me identifiquei pelos motivos de ser covarde, o meu problema era “apenas” nao conseguir me aceitar, por consequencia nao conseguia deixar outro se aproximar muito de mim, quando alcançávamos uma certa intimidade percebia que o nosso relacionamento estava fadado a morte pois nao tinha as ferramentas para poder leva-lo a frente, e como o texto disse me auto sabotava.
    Mas, por incrível que pareça um certo dia, encontrei uma mulher que foi delicadamente tirando cada camada de proteção que eu tinha, de pouco em pouco fui meu abrindo e me entregando. Penso infelizmente que nao seria capaz de ter feito isso sozinho, ou se fosse demoraria mais outra eternidade.
    Isso so foi possível por causa dela, tenho plena convicção disso, eh claro que também estava tentando mudar, mas mudar nao facil, e quando voce ja esta a muito tempo vivendo sempre a mesma coisa, mais ainda.
    Para terminar, o medo as vezes vem de coisas muito mais profundas que um final de relacionamento problematico ou rejeição.

    • A sua última frase é determinante para a compreensão destes tipos de problemas abordados nesse texto. É preciso que as pessoas entendam que este texto apenas incita uma reflexão. Até porque não há nada mais curativo do que conhecer a si mesmo profundamente. Somente através de um conhecimento profundo de si mesmo é que se vai descobrindo os medos internos e os desmanchando. E isto só se consegue com a ajuda de profissionais qualificados e uma grande disposição do indivíduo na busca de si mesmo.

  3. Nossa esse texto foi incrível, tudo que precisava ler e tudo o que vivi.

    Me relacionei com um rapaz durante 4 meses, pouco tempo sim mas durante esse tempo foi tudo muito intenso, envolvendo amigos, família e muito sentimento. Ele era a pessoa mais incrível e carinhosa que já havia conhecido, e ele havia saído de um relacionamento instável (onde já havia terminado e voltado umas 3 vezes) há 2 meses, esse seu ex relacionamento deixou feridas em ambas partes e sua própria mãe não aceitava mais o namoro.
    O que aconteceu foi que durante nosso tempo juntos ele foi muito verdadeiro, dizia estar encantado, demonstrava muito carinho e amor por mim seus próprios amigos diziam isso, e do nada após passar a semana dos namorados disse ter perdido o encanto que gostava de mim mas não o suficiente para o tal momento, 2 dias após o término ele voltou adicionar a ex namorada, e hoje 1 mês após nosso termino eles voltaram. Mesmo com o término ele me disse que eu era mto especial e que nunca ia me esquecer. Bom, após umas semanas…
    Nos encontramos em uma festa pela cidade ser pequena, e nesta semana tive uma perda familiar onde ele veio a me chamar e conversamos o dia todo, ele mandou musicas e me deu forças, dois dias depois ele voltou a me chamar dizendo ter se lembrado de mim ao ir a missa e conversamos um bom tempo, ele elogiou minha foto, e me disse ter notado que eu estava menos no celular na festa do final de semana.
    Muitos dizem que ele gosta de mim mas sei outro relacionamento o deixa balançado, o que devo pensar com tudo isso?

    • Se ele gostasse de vc teria pelo menos pensado. Mas não, te deixou assim que a ex estalou os dedos. A sensação que nos passa é que vc é o step dele, não faz isso, não permita que ele use vc como válvula de escape. Por que mais cedo ou mais tarde ele fará novamente.

  4. Muito bom esse texto, me sinto a propria pessoa sabotada emocionalmete. Atualmente isso tem acontecido comigo, é algo que eu não consigo entender, e fico procurando aonde errei. e sinceramente acredito que não seja eu o problema. agora é deixar o tempo passar, e tudo se ajeitar :(

  5. O que me parece, que este texto foi escrito em um momento de indignação, ou mesmo com esses sentimentos que foram citados de característica de um covarde que não sabe deixar os traumas para viver um novo relacionamento!
    Desconheço algum ser vivo que não precise de atenção, de carinho e amor, mas reconheço que existem limites e acredito que as pessoas tem seus espaços e seus momentos. Não considero covardia a pessoa não querer se envolver com outra, mesmo ela demonstrando que gosta, ama, quer estar perto em determinados momentos, se preocupa e enfim, tudo que uma pessoa faz quando gosta da outra. Covardia é enganar, fugir, mentir… não saber reconhecer seus próprios sentimentos e fugir deles. Entendo que não precisamos dar satisfação do que sentimos as pessoas, somos seres únicos, com peculiaridades.
    Estar de certa forma envolvido e sumir, não quer dizer que a pessoa não queira estar com você, só ela sabe o momento em que está passando, o que deve fazer, e quais sentimentos seguir, desculpas irão aparecer para os sumiços e a negação de se relacionar, mas isso pq o outro precisa, as vzs pressiona para ter uma resposta, e que no fundo nem sempre existe, e muito simples entender: “gosto de vc, gosto de estar com vc, mas não preciso disso para viver a vida, tenho minha individualidade, meus compromissos, minhas prioridades, meus sentimentos…” O que fazer? Apenas respeitar e não tarjar como um covarde que não tem a prioridade de estar com vc, aproveitar o momento assim como esse “covarde” sabe aproveitar, esse momento é o único que existe, aqui e agora. VIVA!

  6. Esse texto não podia ter vindo em melhor hora. Estava conhecendo um rapaz, e logo de cara ele foi muito intenso, dizia coisas lindas, coisas que me deixavam muito encantada. Eu sou uma pessoa que sempre guardei meus sentimentos, nunca tive um relacionamento por medo de que daria errado. E esse rapaz estava me ajudando a deixar os sentimentos fluir. E nossa! Que sensação ótima. Estava tudo muito bom, até ele se afastar e ficar diferente. Eu estava me sentindo a pior pessoa do mundo, por ser tão dura e não retribuir os gestos de carinho. E esse texto me fez perceber que o problema talvez possa não ser comigo, o que já me ajuda, pq eu estava me sentindo muito mal.

  7. Estou passando por isso, estava vivendo a história mais incrível da minha vida, a. 1ª parte do texto é a munha história, de repente ele se afastou e disse que não queria compromisso. Sumiu, eu me senti a pior mulher do mundo. Foi o pior sentimento que já tive, e pra ajudar ele diz “vamos nos ter pra sempre”.

  8. Eu me encaixo no papel de “covarde”. Não posso dizer por todos que estão nessa situação, mas comigo sempre acontece de eu me apaixonar e 3 ou 4 meses depois me desinteressar sem mais nem menos e deixar a pessoa maluca, e posso dizer uma coisa: Dói muito pra mim também! Dói muito magoar alguém, e do mesmo jeito que a pessoa fica confusa, eu também fico, pois eu não sei o que acontece comigo, pois não tenho medo de me comprometer, na verdade eu gostaria muito mas parece que o amor simplesmente some, e vou lutando pra tentar me “reapaixonar ” pela pessoa, mas não consigo. É claro que há pessoas que simplesmente estão pouco se fudendo, mas acredito que devam ter muitos na minha situação e podem acreditar, é horrível :(

  9. Comigo aconteceu isso .. Mais estávamos tão bem que parecia mentira . Tínhamos 8 meses juntos , ele todo mes terminava comigo por motivos que eu nao entendia .
    Um belo dia ele se afastou de mim . .
    Ficou 4 dias sem falar comigo , e eu mandando msg todo santo dia pra ele . Ele simplesmente me mandou uma msg dizendo que não gostava de mim , e que tanto fazia eu estar com ele o não.. E disse que gostou de mim no começo , mais ate semanas as fazia planos de se casar e termos filhos ! Porque ele fez isso ? Teve prazer em me iludir? Meu coraçao ainda doi e clama por ele . Tentei ir atras dele varias vezes e so recebia “morra”,”suma” .. Oque eu ajudei oque eu representei pra ele nao foi nada .. Liguei pra mae dele alguns dias atras qando ela ouviu minha voz ela desligou na minha cara . Eu ajudei a todos dei o meu melhor . Mais ele me deu um conselho no dia q terminou comigo . Ele disse ” nunca se dedique a ngm “, acho que me dediquei a quem nao se importava se estava viva ou morta .

DEIXE UMA RESPOSTA