Toda mulher precisa enlouquecer de vez em quando, ou acaba por enlouquecer de vez

Curiosamente, um mundo loucamente imperfeito nos exige perfeição o tempo todo. De todos nós, de fato, mas, em se tratando de mulheres, as exigências são ainda mais exorbitantes e cruéis. O mundo espera de nós o que, talvez, sequer saibamos se é possível – e que muito provavelmente não é.

O mundo espera que sejamos bonitas, acima de tudo. Lindas, se possível. Bem cuidadas, magras, torneadas, gostosas e sexys. E tenta nos convencer que não somos bonitas se não vamos ao salão de beleza semanalmente.

Uma mulher ~perfeita~ para o mundo atual tem que trabalhar o dia inteiro – porque precisa ser independente – estudar – porque precisa ser culta – fazer dieta, ir à academia e manter os cabelos com um brilho espetacular. Ir à manicure, sorrir para a sogra e, depois de tudo isso, ter disposição para fazer um sexo memorável a qualquer hora, para que o mundo – e, em alguns casos, excepcionalmente o seu companheiro – a considere uma mulher que vale a pena.

E ainda é preciso encontrar tempo pra rezar pra não ser trocada por outra – por que, como já ouvi incontáveis vezes: homens disponíveis estão mesmo difíceis de encontrar. E depois de nos aterrorizar com toda essa história de que precisamos agradar nossos homens, muito mais, até mesmo, do que sermos nós mesmas, ele nos cobra lucidez. Segurança. Serenidade.

A verdade é que o mundo nos cobra equilíbrio quando tudo o que ele faz é nos desequilibrar. Nos cobra segurança quando tudo converge para que acreditemos que não somos nada sem um homem ao lado, nos cobra união enquanto, culturalmente, nos lança umas contra as outras, fazendo-nos uma cruel lavagem cerebral que tenta nos convencer de que somos desunidas e competitivas.

E os homens de nossas vidas – pais, companheiros, amigos – embora, muitas vezes, cheios de boas intenções, acabam por nos atribuir uma responsabilidade que talvez sejamos incapazes de assumir: a de sermos boas o suficiente o tempo todo.

De não mexer no celular dele. De deixá-lo ver futebol em paz. De não sentir ciúmes da amiga gostosa. De se portar dignamente, elegantemente, graciosamente. De não enlouquecer nunca – e se você aceita um conselho, toda mulher precisa enlouquecer de vez em quando, ou acaba por enlouquecer de vez.

Se cada homem no mundo pudesse escutar a minha voz, o único conselho que eu daria é: deixe-nos enlouquecer quando quisermos. Porque não há amor sem uma dose de loucura. Porque equilíbrio absoluto numa relação jamais foi um bom sinal. E toda mulher tranquila e que nunca te interroga sobre o seu atraso pode não ser tão equilibrada assim: ela pode, simplesmente, não te amar.

A intensidade é parte de cada passo nosso. A insensatez eventual nos é necessária e característica. E se não lhe tivermos um pouco de loucura, certamente não lhe temos sequer um pouco de amor.

Por Nathalí Macedo. Fonte indicada Entenda os homens

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



2 COMENTÁRIOS

  1. Valiosa reflexão! Mas acredito que pra esse mal acabar definitivamente. Nós mulheres tenhamos que parar de ouvir e de procurar uma vida perfeita. Acredito tbm, que somos facilmente influenciadas. Por sermos tão sonhadoras, nossos pensamentos estão sempre fora da realidade. Isso realmente é uma característica feminina. Em consequência nossos hormônios,ajudam bastante a não nos mantermos em terra firme.rsss. Baseando no que “eu” vivencio em “minha vida” . Com todos esses agravantes que temos de maneira natural. Fica bem difícil não se cobrar o tempo todo. Não vou ser hipócrita em dizer que a culpa é dos homens, por que tenho um marido maravilhoso, que não me cobra absolutamente nada, do que se diz respeito ao texto. Mas eu própria vivo me cobrando, a ainda acho que não sou auto suficiente pra ele..rsss. Sendo que ele vive dizendo frases incansáveis que me ama e que sou linda! Tbm não vou colocar a culpa na mídia, por que se tudo que passa no momento, são mulheres totalmente masculinizadas. E as próprias se matam pra ficarem assim, sendo que os próprios homens já disseram milhares de vezes que esse tipo de mulher não os agradam! Não sou do tipo que assiste televisão, prefiro a internet. E tenho visto muitas vlogueiras fazendo vídeos de uma ” Super vida perfeita” Casamento maravilhoso com o príncipe dos sonhos, trabalho, faculdade, salão de beleza…rsss. Viagens e sobra tempo o suficiente pra manterem seus belos rostinhos maquiados. Dai quando vai pesquisar suas vidas, muitas já tiveram depressão, ou são separadas. Os maridos não devem ter aguentado tanto brilhantismo..rss. Nada contra isso tudo. Mas acho que a mudança tem que vir de dentro de todas nós. O sofrimento edifica se soubermos a causa verdadeira. Em uma população que boa parte são mulheres. Deviamos contribuir melhor com o mundo. Pararmos de viver na fantasia, e colocarmos os pés no chão. Somos seres humanos e limitados, temos variações de humor, que não adianta lutarmos contra isso. SE deixarmos os homens fazerem o seu papel na sociedade. E ficarmos menos armadas, com tanta responsabilidade que por natureza já temos. Com certeza não vamos precisar surtar, por que se deixarmos de ser influenciáveis a carga que colocamos em nós mesmas com o tempo passa. E daí sim começamos a acordar pra realidade. Definitivamente precisamos ser realistas!

DEIXE UMA RESPOSTA