O Papel de Trouxa

Em 2015 nós vimos a ascensão do papel de trouxa. Muito se falou nessa figura que é tida como aquela que sempre se dá mal em suas relações…

Se você, quando está interessado em alguém, costuma se envolver (geralmente mais do que o outro), responde rapidamente as mensagens, espera a resposta, muitas vezes demorada, e costuma deixar o outro seguro enquanto o outro só vai te deixando mais inseguro, parabéns, você já exerceu esse papel. Você passa por cima de algumas coisas que aquela pessoa faz, finge que não viu e se é você que termina tudo foi só porque o outro não te deu outras alternativas a não ser seguir.

O profissional trouxa é dedicado. Quando se candidata à uma “vaga” faz daquilo uma prioridade. Ele cuida bem do que quer, está disponível quase sempre (ou sempre), bate cartão pontualmente. Mesmo sem querer, ele acaba demonstrando que está mais envolvido: mesmo nas brigas ele é sempre o que digita mais. Hahaha

Sim, ser trouxa pode estar relacionado com falta de amor próprio mas também pode ser simplesmente porque você está mais interessado do que o outro. Se for falta de amor próprio, você deverá trabalhar isso (um longo processo mas não desista). Primeiro se valorizar, depois valorizar o outro, essa é a regra que vale a pena seguir em qualquer ocasião.

Mas, se você vem fazendo papel de trouxa, não se culpe por completo. Tudo tem o seu lado bom e até ser trouxa tem. É melhor perder alguém sabendo que você deu o seu melhor do que ficar com aquela sensação de que você não fez o bastante. Pense bem: você demonstrou para o(a) Fulano(a) suas intenções, talvez seus sentimentos, foi disponível, o(a) deixou seguro(a), deu o seu melhor. Só que Fulano(a) não correspondeu a isso, ao seu melhor. E veja bem: relacionamentos são feitos para partilharmos vidas e caminhar juntos em busca do melhor que podemos ser. Se Fulano(a) não correspondeu a isso, será se valeria a pena dar uma de durona (durão), maquiar sentimentos e endurecer o coração só para quem sabe atraí-lo(a)? Se uma pessoa não se interessa pelo seu melhor, valeria a pena ir em busca do seu pior para tentar deixar aquela pessoa interessada? Não posso responder por você mas creio que tenha me entendido…

O lado bom de ser trouxa é que você está exercitando o seu melhor, você está apostando nos sentimentos quando o mundo hoje valoriza quantidade, rotatividade, descartabilidade. Ser trouxa é também se permitir sentir o que está se passando dentro do seu coração e acreditar nesse sentimento. A questão é: não exercite esse papel com uma pessoa por muito tempo. Percebeu que está se dando demais e recebendo de menos: caia fora. Dar murro em ponta de faca só vai te trazer mais dor. Não queira ser aquela pessoa que vai ficar de joelhos no altar em frente a uma multidão, esperando o (a) noivo (a) aparecer. Observe os indícios que o outro está te dando e aceite isso. É melhor sofrer agora do que sofrer depois.

Com o tempo, o seu coração vai se regenerar. Você vai voltar a acreditar no amor e perceber que valorizar o outro nunca é errado, o errado é desvalorizar a si mesmo. E se eu pudesse te desejar algo eu não desejaria que você deixasse de exercer o seu papel de trouxa mas sim que você encontre alguém que esteja ao seu lado e exerça esse papel junto com você. Alguém que demonstre te merecer, alguém que enfrente medos com você, alguém que te responda rápido e te beije devagar, alguém que não opte estar com você depois sendo que pode estar com você agora. Alguém que te faça prioridade, Plano A, não Plano B!

Imagem Pinterest

COMPARTILHAR
Nat Medeiros
“Sou personagem de uma comédia dramática, de um romance que ainda não aconteceu. Uma desconselheira amorosa, protagonista de desventuras do coração, algumas tristes, outras, engraçadas. Mas todas elas me trouxeram alguma lição. Confesso que a minha vida amorosa não seguiu as histórias dos contos de fada, tampouco os planos de adolescência. Os caminhos foram tortos, íngremes, com muitos altos e baixos e consequentemente com muita emoção. Eu vivo em uma montanha-russa de sentimentos. E creio que é aí que reside o meu entendimento sobre os relacionamentos. Estou em transição: uma jovem se tornando mulher experiente, uma legítima sonhadora se adaptando a um mundo cada vez mais virtual. Sou apenas uma mas poderia ser tantas que posso afirmar que igual a mim no mundo existem muitas e é para elas que escrevo: para as doces mulheres que se tornaram modernas mas que ainda acreditam nas histórias de amor.”



2 COMENTÁRIOS

  1. Texto excelente
    Descreve na íntegra cm nos sentimos qdo estamos mais envolvidos do q o outro.mas qdo encontramos quem realmente nos merece e se envolve,ahhh! Vale acreditar que amar e ser amada é TUDO!

DEIXE UMA RESPOSTA