Não fico mais com raiva: só olho, penso e me afasto

Para ter força para lidar com situações complicadas devemos aprender a tomar uma certa distância emocional, a questionar o que se apresenta para nós e a pensar antes de tomar qualquer decisão. Como com tudo na vida, para aprender isso é necessário tempo e experiência, muita experiência.

Assim, podemos dizer que a distância emocional é uma regra implícita que nos permite ver e sentir as coisas de uma outra maneira, pois damos tempo para que as emoções como a raiva percam força e podemos então entender melhor nossos sentimentos, os quais nos permitem compreender com mais clareza o que pensamos e como queremos realmente agir.

Ou seja, fazer isso, se distanciar, serve para lidar melhor com nossas emoções e assim conseguir coerência entre nossas opiniões e nossas ações sobre um tema determinado, como por exemplo as atitudes de uma pessoa.

arvore-menina

Como se distanciar emocionalmente de uma situação?

Agora, como fazer isso? Como se distanciar emocionalmente de uma situação? Essa resposta não tem uma fórmula mágica, pois depende de muitos fatores pessoais e circunstanciais, assim como fatores relacionais.
Há pessoas às quais damos enorme importância, e nos distanciarmos das emoções que temos quando estamos com elas é, sem dúvida, uma das tarefas mais complicadas que temos que concluir na hora de montar o quebra-cabeça para compreender o que está acontecendo.
Mesmo assim, e mesmo considerando que não temos uma receita perfeita que nos leve a tomar a distância ideal do melhor modo possível, podemos destacar a maior parte dos ingredientes que acabam nos faltando para conseguirmos nos distanciar emocionalmente nas situações mais difíceis para nós.
Conforme já falamos, é indispensável que respeitemos o tempo, pois tempo é necessário para vermos mais nitidamente nossas emoções. Metaforicamente, podemos ilustrar essa questão com as cores dos semáforos: vermelho, amarelo e verde.
menina-tronco

Diante de uma afronta, provavelmente a luz amarela pisca para rapidamente passar ao vermelho. Ou seja, quando somos invadidos, por exemplo, pela raiva, pela tristeza, pela alegria ou por qualquer outra emoção, nosso semáforo rapidamente se torna vermelho, e nesse momento não devemos tomar decisões.

Com o semáforo vermelho devemos frear nossa reação emocional e esperar um tempo para compreender exatamente o que pensamos, sentimos e o que vamos fazer.

Observe, olhe e afaste-se se for necessário, mas não tome decisões permanentes a partir de emoções que são temporárias, ainda que tenha vontade de dizer muitas coisas em determinadas situações ou de gritar, você pode se manchar para sempre. Dê tempo para que suas emoções se estabilizem novamente, vá dar um passeio, pinte um desenho ou deixe passar uns dias antes de decidir e lidar com a situação ou pessoa que te irritou ou entristeceu.

Quando o tempo passa algumas coisas simplesmente deixam de ter importância, e alguns detalhes que antes eram angustiantes passam a ser amenidades que relativizamos e aceitamos como inerentes às circunstâncias.

Digamos que é graças ao tempo que nos afastamos e deixamos de reagir com intensidade emocional, evitando gerar decepções, expectativas e traições. Conseguir, enfim, não ser controlado por nossas emoções é possível, mas é uma habilidade que se aprende somente com a prática.

A bússola interna, um grande benefício ganho com a distância emocional

No momento em que conseguimos criar uma distância emocional perante uma situação, podemos escutar o que diz a nossa bússola interna que nos dá intuições sobre o que está bem e o que está mal. Essas intuições muitas vezes são certas, posto que se baseiam nos nossos sentimentos, muito mais duradouros que nossas emoções.

Então, as decisões que tomamos a respeito dos demais e do que aconteceu serão muito melhores e mais coerentes com o que sentimos e pensamos verdadeiramente. Aquipodemos saber o que merece atenção e o que pode ser ignorado, fomentando um sentimento bom e impedindo que soframos por aquelas coisas que não podemos controlar.

Resumidamente, é muito importante que diante de situações complicadas ou com muita carga e intensidade emocional criemos uma distância, pois assim teremos sucesso em ver que os aspectos mais passageiros de nossas emoções nos confundem, e então não nos arrependeremos de agir de uma ou outra forma.

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



11 COMENTÁRIOS

  1. Estas palavras me ajudam a amenizar as dores de conviver no cotidiano. As pessoas são conflituosas e Deus pensamentos a deixam elevar ainda mais seus sentimentos.

  2. Estou com este problema com meu marido, ele se envolveu com política sou contra, mas tenho gênio muito forte aí não aceito ele ficar saindo com políticos e acabei até em depressão, ele passou a me ignorar e fazer de conta q não existo, sai não dá satisfação , porém eu briguei muito. Falo em separação ele não aceita e nem enxerga que desencadeou uma depressão em mim. Quero sumir pra não ver ele saindo com este Sr político peguei raiva mortal dos dois. E q faço to perdida.

    • Vc já parou pra pensar q vc pode está sendo egoista vc disse q não gosta dele na política mas vc já parou para pensar q ele gosta e q a vida é dele e ele tem direito de fazer da sua vida o q ele quiser ?vc já pensou q a política tem feito ele feliz às vezes aumentando a autoestima dele.Sera q vc não está pensando apenas nas suas vontade e não nas deles?seremos muito mais feliz se aceitamos o outro como ele é com suas vontades e desejos acho q se vc mudar de atitude com seu esposo ele vai mudar com vc e te ouvir mais seja mais carinhosa,para com as brigas para de querer impor suas vontades para ele,senta com ele e conversa abre seu coração com calma e peça desculpas a ele por suas atitudes fala para ele q está sendo difícil para vc mas q vc vai tentar compreender ele e te aconselho a procurar um psicólogo vai te ajudar mto com a depressão depois q comecei a terapia mudou minha vida bjs

    • Eugenia, aconteceu algo semelhante comigo porém só mudar a politica por RPG. Nos separamos em 2014 … e eu estou ansiosa pelo divorcio!! Simplesmente segui minha vida!! e ele a dele …. hoje estou bem melhor!!

  3. Nossa como esse texto me fez refletir,uma pena ter lido ele depois de ter agido errado com uma pessoa mt especial,mais através dessas palavras lidas eu pude perceber o quanto fui rude e agir errado ,as lágrimas ate rolaram ,e vou correndo pedir desculpas

  4. Admiro mt as suas publicações, Fabíola. São textos, que focam temas elucidativos, sobre o ser humano, seus sentimentos, suas emoções, suas reações e atitudes perante determinadas situações, que por vezes, nos são impostas e, nos ajudam a encarar tds esses fatores, que interferem na nossa Vida e, nos ajudam a compreender melhor, a maneira de lidarmos com tdas as vissicitudes, que por vezes, nos parecem tão difíceis de resolver….São temas demasiado reais, que tds nós já experimentamos, por uma razão ou por outra….
    Obgda pela partilha e, continue a publicar, é sempre com mt agrado, que os leio!

DEIXE UMA RESPOSTA