Seu Zé, eu tenho que me manter em pé…

Seu Zé, eu e a vida, sabe? Nós sempre fomos muito amigas. Sempre soubemos nos comunicar bem e entender a língua uma da outra. Eu sempre a fui fiel e sempre prometi viver o que ela me pusesse, sem pestanejar. Mas me diz, seu Zé, o que está acontecendo? O que está acontecendo com ela?

Eu, sinceramente, não estou conseguindo entender o que a danada está querendo me dizer. Se é que está querendo falar algo. É que tens sido tão leviana comigo nos últimos tempos, sabe? Eu me levanto e na mesma hora ela me dá outra rasteira. Sinto que fica zombando de mim e achando-me tola demais por levantar e ir em busca de alguma explicação. Mas vou te falar, não está sendo fácil. Dentro de mim, há dias, sinto que o tempo está sempre fechado. Vou te falar, seu Zé, queria fugir. Sumir. Mas um dia me disseram que isso não adianta muito – ou nada-, porque os problemas sempre vão nos acompanhar. E é verdade, não é?

Duvido muito que chegará um dia ao qual eu tenha minha vida completamente organizada. Desacredito demais que chegarei ao ponto de não ter nenhuma situação mal resolvida em algum âmbito. Mas olha, isso não pode significar inquietação e aflição. E é disso que eu preciso me proteger, entende seu Zé? É isso que eu não quero para mim em grandes quantidades e por tempo demais.

Eu, que sempre agarrei os desafios da vida, estou com dificuldade de me segurar em pé nesse percurso turbulento. Eu, que sempre fui fã das ciladas que a gente se mete e depois consegue sair, hoje só queria um aconchego que me trouxesse segurança. Só queria ver quem sempre disse que estaria comigo, estando. Mas seu Zé, acho que uma hora eu entendo o que a vida está querendo fazer comigo.

Por enquanto eu vou me apegando ao que me acrescenta e tentando me livrar do que me põe nó na garganta e aflição no coração. Por enquanto, seu Zé, eu vou evitando me render e não ser boba para ficar no chão. Por enquanto, eu vou olhando para dentro de mim e tentando enxergar as saídas que só eu mesma posso encontrar. Por enquanto, eu vou aprendendo que mereço muito. Ops… Acho que estou começando a entender o que a vida quer de mim… Força. Força no corpo, na mente e no coração. Força para saber sair mais uma vez dessa e poder entender que mesmo quando eu temo, eu não me abalo. Porque se eu estou aqui, é para isso. Vai passar, Seu Zé. E mais uma vez a danada terá sido minuciosamente estratégica, fazendo-me crescer e aprender em um piscar de olhos. Ou em algumas gotas de lágrimas…

COMPARTILHAR
Ana Luiza Santana
"Estudante de psicologia, nascida no Pernambuco, mas escolhida pela Bahia(amo). Intensa por naturalidade e louca por amor. Completamente apaixonada por abraços apertados, sorrisos e pessoas de aura leve e energia positiva."



DEIXE UMA RESPOSTA