Flor da Honestidade

Conta a lenda que há muitos anos na China, um príncipe ia ser coroado imperador. Mas, de acordo com a lei, ele tinha de se casar. Sabendo disso, o rapaz lançou uma disputa entre todas as jovens moças do reino que se tinham apresentado.

– Vou dar a cada uma de vocês, uma semente. Aquela que, dentro de seis meses, trouxer a mais bela flor será minha esposa.

O tempo passou e uma das jovens, a mais humilde delas, apesar de não ter tantas habilidades na arte da jardinagem, cuidava de sua sementinha com muita paciência e ternura, pois sabia que, se a beleza da flor surgisse na mesma extensão do seu amor, ela não precisaria ficar preocupada com o seu resultado.

Os três primeiros meses se passaram e nada germinou. Ao expirar o prazo determinado, ela nada tinha conseguido, pois a flor não brotou. Consciente do seu esforço e dedicação, compareceu ao palácio na data e hora combinadas. Ela era a única cujo vaso de flores estava vazio.

Todas as restantes pretendentes levaram, cada qual, uma flor mais bela que a outra.

O príncipe observou cada uma das pretendentes com muito cuidado e atenção, e anunciou que a jovem que trazia o vaso vazio era a escolhida. Ela seria a sua futura esposa.

Ninguém compreendeu o porquê de ele ter escolhido justamente aquela que nada havia cultivado! Então, calmamente, ele esclareceu:
– Esta foi a única que cultivou a flor que a fez digna de se tornar uma imperatriz, a flor da honestidade, pois todas as sementes que entreguei eram estéreis.

Nunca deves desistir das tuas ideias. Acredita nelas e trabalha-as!

(Autor Desconhecido)

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA