Esquecer é não sentir mais nada. Nem mesmo saudade…

A gente apaga o número do celular, apaga todas as fotos, apaga mensagens antigas, bloqueia no Facebook, Instagram e Whatsapp. A gente joga todos os presentes que ganhamos durante o tempo juntos fora e se liberta daquele perfume que só remete a tal pessoa.

Evitamos tocar no nome. Começamos a sair para as baladas da vida e levantamos o copo de bebida para fazer um brinde a nova fase e ao esquecimento da pessoa que ate há alguns dias era o amor da nossa vida. Juramos de pé junto que mal nos lembramos do timbre da voz dela.

Mas basta chegar em casa, tomar um belo banho e descansar a cabeça no travesseiro para vir à tona o que parecia estar morto e enterrado. Basta o silêncio de uma noite fria para as lembranças e a saudade aquecerem o coração e deixa-lo ardendo em dor. E é aí que nos damos conta que esquecer vai muito além do que o que imaginamos.

Quem esquece não precisa evitar encontros casuais, não se sente mal em falar a respeito e não precisa “entupir-se” de bebida para dizer que esqueceu. Não. Quem esquece cria indiferença. Quem esquece vive e somente. Quem esquece sabe que existem e sempre irão existir lembranças da pessoa que um dia foi de uma importância imensurável em nossa vida, mas tais lembranças não precisam ser apagadas, porque é algo que fez parte de algum momento bom, mas que, por obra do destino (ou não), ficou para trás.

Quem esquece não precisa provar nada para ninguém, apenas deita a cabeça no travesseiro e dorme com tranquilidade. E quem não esqueceu, meu amigo, precisa viver a dor e deixar doer. Deixar a ferida sangrar mesmo. E saber que não é preciso pressa, uma hora as coisas se estabilizam e será perceptível que esquecer é lembrar e não sentir mais nada. Nem mesmo saudade.

COMPARTILHAR
Ana Luiza Santana
"Estudante de psicologia, nascida no Pernambuco, mas escolhida pela Bahia(amo). Intensa por naturalidade e louca por amor. Completamente apaixonada por abraços apertados, sorrisos e pessoas de aura leve e energia positiva."



2 COMENTÁRIOS

  1. Que texto maravilhoso,
    estou passando por esse processo de “esquecer” já consigo falar sobre a pessoa, sem me sentir entristecida ou coisa assim. Ja não sinto raiva, nem amor e muito menos saudades. Na verdade, saudades até dá as vezes, que a nossa mente fica quieta e vem as lembranças, o bom é que sentir-se assim, não é o mesmo que querer de volta.
    Parabéns pelo texto, muito me identifiquei. Beijos de luz.

DEIXE UMA RESPOSTA