“Encontro de almas”

Uma das maiores bençãos que se pode ter na vida é estar livre da necessidade de se explicar. É um privilégio conhecer pessoas que conseguem te enxergar além da superfície. Que dispensam explicações. Simplesmente sabem quem você é. Tudo bem se você tiver errado. Não precisa falar que você não é assim, porque elas sabem. Não precisa explicar que você precisa dividir o que te angustia, pois essas pessoas pegarão suas dores através de um abraço. São elas que vão ligar em uma terça-feira sem graça só para perguntar como você está. Ou sentir quando você não está nos seus melhores dias. Às vezes elas te abençoarão com palavras e outras vezes te ensinarão com o silêncio. Seus risos refletem nos lábios delas e suas lágrimas machucam a elas também. Conseguir que te entendam depois de você se explicar é ótimo, mas fazer isso sem palavras é uma dádiva. Não são muitas as pessoas que vão realmente saber quem você é durante a vida. Agradeça se elas chegarem a ocupar os cinco dedos de uma mão. E geralmente, pelo menos uma dessas pessoas será nossa mãe ou nosso pai. Mas sinta-se abençoado se você tem alguém que entende seu olhar. Que te ama mesmo quando você se esquece das próprias virtudes. Quando você tem alguém que dispensa saber suas explicações, tenha sempre por perto. Alguns chamam de amor, outros de amizade. Eu desisti de encontrar definição, porque esse encontro de almas vai muito além da razão.

COMPARTILHAR
Geovanna Argenta
Sou a segunda de um quarteto fantástico, que tem os pais como inspiração. Goiana de nascimento, fui amadurecida pelo calor do norte brasileiro, no querido Tocantins, onde cresci e criei laços eternos. Coração inquieto de natureza, morei um tempo nos Estados Unidos, na França e no Distrito Federal, até voltar para minha terra natal, a Capital do Amor (ou do Sertanejo, se preferir): Goiânia-Go. Jornalista de formação, especialista em Relações Internacionais e nos últimos anos trabalhando com marketing, sempre tive paixão por escrever. Desde os primeiros rabiscos que eu chamava de poesia aos 12 anos, o papel e a caneta (e nos últimos anos também o teclado), têm sido bons tradutores da minha alma. Apaixonada por família, viagem, livros, doces e o namorado. Há 27 anos uma virginiana curiosa, cheia de sonhos, dramas e paixões, prestes a viver a maior aventura da vida: ser mamãe.



7 COMENTÁRIOS

  1. Essa pessoa sou eu!! Consigo me comunicar com muitas almas e agora estou tentando se comunicar com a minha própria alma. Texto lindo e gostoso para refletir

  2. Por um momento pensei: a”cho que escrevi isso aqui, mas n estou recordando quando…”
    Ao acabar a leitura, vejo que foi escrito por uma virginiana…
    Logo, entendi tudo! Muito bom!!
    <3

DEIXE UMA RESPOSTA